segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

BOAS FESTAS, FELIZ NATAL!

A Escola vestiu-se de Natal
para nos acolher hoje à noite
nos sabores de um bom jantar
no aconchego de um abraço
na alegria de um sorriso.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

The most beautiful libraries - (bibliotecas fantásticas)

O título não condiz com a tradução, mas o conteúdo transporta-nos para Bibliotecas fantásticas. Ainda não tivemos o privilégio de visitar algumas delas, mas esperamos que o tempo nos dê a oportunidade de o fazer.Propomos hoje uma viagem no tempo e realçamos o contributo português e brasileiro na divulgação do conhecimento: Coimbra (Biblioteca Joanina), O Convento de Mafra e o Real Gabinete de Leitura no Rio de Janeiro (esta, provavelmente uma das mais bonitas bibliotecas do Mundo).
Para saborear devagar...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Parabéns, Nadir Afonso!

Arquitecto, nome maior da pintura portuguesa contemporânea, faz hoje 90 anos.
O seu percurso cruzou-se com F. Léger, Portinari, Le Corbusier, Oscar Niemeyer ...

Uma singela homenagem? Conhecê-lo, visitando o seu sítio:
http://www.nadirafonso.pt/

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Parabéns, Cruzeiro Seixas!

Faz hoje 90 anos; é um "homem que pinta" (a designação de pintor aborrece-o); poeta português, militante do Surrealismo, é um nome maior da história da arte portuguesa contemporânea.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

LIVROS, LIVROS, BIBLIOTECA

Toda a gente sabe que os livros devoram espaço sem qualquer piedade. E não existe defesa possível. Qualquer que seja o espaço que se lhes dê, nunca chega. Ocupam primeiro as paredes, e depois continuam a espalhar-se por onde conseguirem. Apenas o texto fica poupado. Chegam sempre uns novos, enquanto o dono não tem coração para se livrar de nenhum dos velhos. E assim devagar, sem dar nas vistas, volumes de livres empurram tudo à sua frente. Como glaciares.

Zoran Zivkovic, "A Biblioteca", ed. Cavalo de Ferro, 2010, p. 29


Sinopse
Livro vencedor do prestigiado World Fantasy Award, A Biblioteca reune seis histórias fantásticas ligadas à bibliofilia, fazendo-nos pensar em Jorge Luis Borges e na sua biblioteca infinita, mas também no universo de Kafka ou de Umberto Eco. No conto de abertura, um escritor descobre um site onde todos os seus livros, inclusive os que ainda não escreveu, se podem consultar; num outro, uma comum biblioteca transforma-se durante a noite num arquivo de almas; noutro, ainda, o Diabo decide estabelecer os níveis da literacia infernal... (IN http://www.wook.pt/ficha/a-biblioteca/a/id/9620195)

Uma leitura com humor, deliciosa, cativante, estes seis contos que se interligam em torno de diferentes tipos de bibliotecas: particulares, virtuais, nocturnas, minimais, infernais, requintadas...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Newton Gostava de Ler



"Newton Gostava de Ler" é um Projecto de promoção da Leitura e da Ciência dinamizado pela Fábrica da Ciência Viva (Univ. de Aveiro) e a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), em fase experimental na Rede de Bibliotecas Escolares do Município de Aveiro. Depois de assinado o protocolo entre as duas instituições (Drª Teresa Calçada pela RBE e Prof. Dr. José A. Rafael, vice-reitor da UA), o projecto desenvolver-se-á em três fases: formação dos professores bibliotecários antecedendo cada módulo experimental; realização de uma experiência de leitura/ ciência na Biblioteca Escolar; avaliação do projecto.
O projecto pode vir a ser alargado a outras zonas do país.
Do projecto constam sete módulos, cuja execução se estende até Maio de 2011.
A formação do primeiro módulo está concluída...a realização das experiências vem aí!!
O livro de apoio à leitura é "Os Mistérios de Casimiro" de António Pocinho, Fenda Edições,2002, um livro divertido cuja personagem nos "agarra" até ao fim.
A Biblioteca Escolar é também um espaço de Ciência...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia


De tanto rir, uma lágrima cai na palma da mão de António. Espantado com a gotinha de líquido translúcido na mão, António aproxima-a dos olhos para melhor a contemplar. É uma gotinha que parece repousar suavemente sobre a pele, tão perfeita na sua redondeza. Olha através dela e vê uma miríade de pequenos arco-íris num festival de luz e cor.

- É a luz solar a ser refractada no interior da lágrima e reflectida para os teus olhos. – Diz uma voz familiar. Orientado pelo som, António foca o seu olhar na superfície da lágrima e vê a imagem nela reflectida do seu tio Rómulo, que acaba de chegar.

- Olha tio Rómulo, uma lágrima minha na palma da minha mão. – Diz António elevando a mão até à altura do olhar de seu tio.

- Parece uma bola colorida, cheia de arco-íris! – Brinca Rómulo, e pergunta. – Sabes de que é feita?

- De água…- responde António hesitante. – …e são salgadas, as lágrimas…

- Sim. – Confirma o tio Rómulo. – Água (H2O), quase tudo, e cloreto de sódio (NaCl). –

Acrescenta com um sorriso.

- E nada mais? – Inquire António com ar desconfiado.

- Sabes António, as lágrimas têm propriedades ópticas excepcionais devido a uma mistura complexa de muitos átomos e moléculas que não só a água e o cloreto de sódio.

- Quantos átomos e moléculas diferentes numa única lágrima? – Pergunta António, curioso a olhar mais de perto para a lágrima que tem na mão?

- Um número astronómico de átomos de oxigénio e hidrogénio; um nada menos de carbono, nitrogénio e enxofre; algumas pitadas de potássio, sódio, cloro, cálcio, ferro e manganésio; vestígios de outros elementos, quanto baste. Enfim, podemos dizer que a tabela periódica dos elementos está muito bem representada numa lágrima.

- Tudo isso numa única lágrima? – Insiste António. – Como é que sabemos isso, como é que conseguimos ver tantos elementos nesta lágrima se ela é assim tão transparente e sem cor?

- As ciências analíticas, qualitativas e quantitativas, avançaram muito. – Começa a explicar o tio Rómulo – Os cientistas têm hoje, ao seu dispor, inúmeras técnicas e equipamentos muito sensíveis que são capazes de desvendar, pela análise de uma diminuta amostra de lágrima, a sua composição elementar.

- Podes começar? – Desafia António.

- Em pouco mais de um grama de lágrima, cerca de um mililitro de emoção, e através de espectroscopias, electroforeses e cromatografias, somos capazes de chegar à seguinte observação: para além da água, que pressentimos, encontramos gorduras, proteínas e peptídeos de vários tamanhos e funções, alguns açúcares, sais e muitos outros compostos com baixos e altos pesos moleculares.

- Tanta coisa num pedacinho de água? Para quê? – Questiona António espantado.

- Sabes António, a lágrima tem como principal função limpar e lubrificar os olhos. Os cientistas descobriram que os componentes do líquido lacrimal se dispõem em três camadas sobre o olho. A primeira é rica em mucina, uma proteína ligada a açúcares, que forma um gel cheio de água e que protege a córnea do olho de forma homogénea e transparente à luz visível.

- E a segunda camada? – Interrompe António ávido de saber.

- A segunda é uma solução aquosa verdadeira. Contem proteínas como a lisozima, lactoferrina, albumina e outros complexos imunológicos solúveis em água, que atacam micróbios e protegem os olhos de infecções. E é também nesta camada aquosa que encontramos a maioria dos sais, cuja presença permite a regulação da pressão osmótica entre o interior e o exterior do olho. Aliás, a composição em sais faz eco da noite uterina amniótica e é semelhante à do plasma do sangue. É como se fosse uma onda do nosso mar interior a banhar a superfície ocular!

- E a última, a que está, se bem entendi, por cima de todas? – Pergunta António atento.

- A última camada é feita de óleos, gorduras próprias de lágrima, que criam uma barreira que reduz a evaporação da sua água. Para os olhos não secarem!

- É como se fosse azeite por cima de uma gotinha de água? – Comparou António.

- Sim, mas são outras as gorduras produzidas pelas glândulas de meibómio. – Especifica Rómulo.

- E as lágrimas são todas iguais? – Pergunta António introspectivo.

- São iguais entre humanos, diferentes entre os vários animais. As do crocodilo têm outras proteínas, óleos e diferentes concentrações de sais.

- E esta que saltou do meu riso é diferente daquelas que escorrem em carreiros quando choro? – Indaga António.

- Pouca diferença há, pois essas lágrimas estão armazenadas no mesmo saco lacrimal. Quando choras ou ris, os músculos faciais, que modelam a expressão do teu rosto, apertam o saco e assim são expulsas as lágrimas. – E continua o Tio Rómulo depois de uma breve pausa – Os cientistas descobriram que numa lágrima de emoção há mais de umas hormonas e outras moléculas cerebrais, como a acetilcolina. E se estiveres doente, ainda outras diferenças haverá no grupo proteico da albumina.

- Quer dizer que as lágrimas reflectem a saúde do meu corpo e se estou triste ou contente? - Questiona António desconfiado.

- Sim. – Responde Rómulo, com um brilho no olhar. – As lágrimas são impressões bioquímicas de um momento do teu ser. Como estão em contacto com todos os líquidos corporais, pela continuidade do plasma sanguíneo, são transparentes na verdade que contam, se as analisarmos em tubos bem esterilizados, claro está.

- E eu que pensava que as lágrimas eram só água e sais, nada mais! – Exclama António.

- Tudo o que hoje sabemos é pouco, comparado com o que amanhã podemos vir a descobrir! – Diz Rómulo ao tocar com um dedo na lágrima na palma da mão do António.


António Piedade - Crónica a partir do poema “Lágrima de Preta”, de António Gedeão (in "Máquina de Fogo", 1961) e elaborada para o Exploratório Infante D. Henrique, Centro de Ciência Viva de Coimbra, no âmbito da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, a decorrer entre 22 e 28 de Novembro de 2010.


IN http://dererummundi.blogspot.com/

terça-feira, 23 de novembro de 2010

24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica

O Dia Nacional da Cultura Científica, 24 de Novembro, foi instituído em 1997 para comemorar o nascimento de Rómulo de Carvalho e divulgar o seu trabalho na promoção da cultura científica e no ensino da ciência.

Durante a corrente semana, a Semana da Ciência e da Tecnologia, de 22 a 28 de Novembro, instituições científicas, universidades, escolas, associações, museus e Centros Ciência Viva de todo o País abrem as suas portas ao público, lançando um convite irrecusável para uma viagem pelo conhecimento.

Em http://www.cienciaviva.pt/semanact/edicao2010/ ,
a Fábrica da Ciêwncia Viva em Aveiro divulga o seu programa de eventos:

Oficinas / WorkShops
Portas Abertas / Visitas a laboratórios
Exposições
Visita Guiada a Museu
Palestras/Conferências/Colóquios
Tertúlias/ Café de Ciência
Passeios Científicos/Observações Astronómicas
Documentários / Filmes / Ficção Científica
Internet


Também nossa escola tem um atractivo programa, vamos participar!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

“Prometemos ficar calados, só a abater árvores”

“Prometemos ficar calados, só a abater árvores” é uma proposta do Teatro Aveirense, em parceria com a Escola Secundária Homem Cristo e a Escola Secundária Dr. Mário Sacramento, que parte de um exercício de mapeamento da memória e da cartografia da cidade de Aveiro. É um projecto de apropriação de uma cidade inundada. E a construção de uma outra. É uma proposta de destruição da cidade. Uma provocação. Um desdobramento da cidade e consequência da sua deslocação para um palco. É uma partitura e um conjunto de heterotopias. É tudo aquilo que já foi feito mas não por eles. É sobre o inevitável abate de árvores.
http://prometemosficarcalados.blogspot.com/


2 de Dezembro | Quinta-feira | 21h45 | 2 Euros (publico em geral) 1 Euro (estudante)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Centenário da morte de Tolstoi

No dia 20 de Novembro de 1910, o conde Lev Nikolaievich Tolstoi morre na estação ferroviária de Astapovo, prostrado por uma pneumonia. Tinha 82 anos e era uma das figuras mais célebres da Rússia e da literatura mundial. Autor de obras tão marcantes como Anna Karenina, Sonata a Kreutzer, A Morte de Ivan Illich e Ressurreição, foi sobretudo através do monumental romance Guerra e Paz que Tolstoi passou à posteridade. Cristão, pacifista, anarquista, Tolstoi foi isto tudo e nenhuma destas coisas em estado puro. Uma figura única da literatura universal evocada no CCB durante um dia – aquele em que passam cem anos sobre a sua morte.

http://www.ccb.pt/sites/ccb/pt-PT/Programacao/Literatura/Pages/DIATOLSTOI20NOV2010.aspx

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Cimeira da Nato, em Lisboa, 19 e 20 de Novembro


A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN ou NATO), por vezes chamada Aliança Atlântica, é uma organização internacional de colaboração militar estabelecida em 1949 em suporte do Tratado do Atlântico Norte assinado em Washington a 4 de Abril de 1949. Os seus nomes oficiais são North Atlantic Treaty Organization (NATO), em inglês, e Organisation du Traité de l’Atlantique Nord (OTAN), em francês. Em Portugal utiliza-se mais frequentemente a palavra NATO (sigla em inglês) por, paradoxalmente, se parecer mais com uma palavra portuguesa. O seu secretário-geral é, desde 1 de Agosto de 2009, o dinamarquês Anders Fogh Rasmussen.
IN Wikipédia.


A Cimeira da NATO em Lisboa realiza-se nos dias 19 e 20 de Novembro de 2010, na FIL, Parque das Nações, em Lisboa. É uma reunião com os 27 líderes da União Europeia e membros da NATO, que terá como temas centrais de debate a proliferação das armas de destruição maciça e o terrorismo, tendo como objectivo reforçar a aliança transatlântica. Outros assuntos em debate serão a aprovação do conceito estratégico da NATO, a redefinição das relações com a Rússia e a localização geográfica das novas estruturas de comando da organização.

A par da Cimeira da Nato decorre também a Cimeira EUA-UE, um encontro que se realiza anualmente e que conta com a presença dos líderes da UE e dos EUA.

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos da América vai estar presente na Cimeira da NATO e na Cimeira EUA-UE, em Lisboa.

Esta é a primeira Cimeira organizada por Portugal desde a entrada em vigor do Tratado de Lisboa. São esperadas mais de 5000 pessoas, entre delegações oficiais dos países membros e parceiros da NATO, organizações internacionais e jornalistas.

O Governo concedeu tolerância de ponto no concelho de Lisboa no dia 19 de Novembro.

Programa provisório da Cimeira da Nato em Lisboa 2010

Sexta-feira, 19 de Novembro
■Reunião de Chefes de Estado e de Governo
■Conferência de imprensa
■Jantar de trabalho dos Chefes de Estado e de Governo
■Jantar de trabalho dos Ministros dos Negócios Estrangeiros
■Jantar de trabalho dos Ministros da Defesa

Sábado, 20 de Novembro
■Reunião de Chefes de Estado e de Governo
■Reunião Força Internacional de Assistência para a Segurança – ISAF
■Reunião OTAN-Rússia

Mais informações na página da Cimeira Nato Lisboa 2010.
Aqui http://www.natolisboa2010.gov.pt/pt/inicio/

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Grande Dicionário da Língua Portuguesa

Conheça alguns dos novos vocábulos com direito a entrada no Grande Dicionário da Língua Portuguesa, que a Porto Editora lança agora em nova edição revista e actualizada com o Acordo Ortográfico:

biocombustível
flexigurança
bluetooth
twittar
gadget
googlar
podcast
desblindagem
ciberbullying
priorização
iPod
pixelização
volunturismo
rebranding
parentalidade
proativo
wireless
phishing
customizar
ebook
audiolivro
politólogo

Mais informações em

http://www.portoeditora.pt/imprensa/index/detalhe/noticia/Grande_Dicionario_AO

terça-feira, 16 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

Aung San Suu Kyi

Foi hoje libertada a líder oposicionista birmanesa, Nobel da Paz em 1991.
Líder política e activista dos direitos humanos, Aung San Suu Kyi nasceu em Rangun a 19 de Junho de 1945.
Passou em prisão 13 anos dos últimos 19 anos.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O cérebro de um adulto muda tanto como o de uma criança, quando aprende a ler



Cientistas e voluntários portugueses participaram num estudo internacional inédito sobre os efeitos da leitura no córtex cerebral, comparando analfabetos, leitores e ex-iletrados.

(...)

E o que descobriram então os cientistas sobre o que acontece ao cérebro de quem aprende a ler?

Nunca é tarde


IN
http://www.publico.clix.pt/Ciências/o-cerebro-de-um-adulto-muda-tanto-como-o-de-uma-crianca-quando-aprende-a-ler_1465736

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Primitivos Portugueses (1450-1550) - O século de Nuno Gonçalves



EXPOSIÇÃO
Museu Nacional de Arte Antiga

11 de Novembro 2010 a 27 de Fevereiro 2011
18 de Novembro 2010 a 27 de Fevereiro 2011

Exposição com o apoio da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República

Informações em:
http://mnaa.imc-ip.pt

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

FUNDAÇÃO EÇA DE QUEIROZ

http://www.feq.pt/
Este sítio divulga as diversas actividades desenvolvidas pela Fundação Eça de Queiroz, localizada em Tormes, concelho de Baião.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

JOSÉ E PILAR - Trailer Oficial Portugal

http://vimeo.com/16473738

Sinopse

A Viagem do Elefante, o livro em que Saramago narra as aventuras e desventuras de um paquiderme transportado desde a corte de D. João III à do austríaco Arquiduque Maximiliano, é o ponto de partida para José e Pilar, filme de Miguel Gonçalves Mendes que retrata a relação entre José Saramago e Pilar del Río.

Mostra do dia-a-dia do casal em Lanzarote e Lisboa, na sua casa e em viagens de trabalho por todo o mundo, José e Pilar é um retrato surpreendente de um autor durante o seu processo de criação e da relação de um casal empenhado em mudar o mundo – ou, pelo menos, em torná-lo melhor.

José e Pilar revela um Saramago desconhecido, desfaz ideias feitas e prova que génio e simplicidade são compatíveis. José e Pilar é um olhar sobre a vida de um dos grandes criadores do século XX e a demonstração de que, como diz Saramago, “tudo pode ser contado de outra maneira”.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

MULTIPESSOA. LABIRINTO

Do Instituto de Estudos sobre o Modernismo, é um sítio sobre Fernando pessoa e os seus heterónimos

http://multipessoa.net/

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Já pensaste no fascínio que as ligações entre as coisas podem ter?

A arquitectura é um “lugar” a partir do qual se lê a realidade e se reflecte sobre a criação e o seu papel nas actividades humanas.

CAMPUS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

CASA DA MÚSICA

CASA DAS HISTÓRIAS – PAULA REGO

CASA DE SERRALVES

FUNDAÇÃO CHAMPALIMAUD

IGREJA DA SANTÍSSIMA TRINDADE

BIBLIOTECA DE SANTA MARIA DA FEIRA

BIBLIOTECA DE OEIRAS


Foi com base em imagens destes espaços que preparámos um cantinho ma nossa Biblioteca!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

Mais uma vez , a equipa da Biblioteca está a organizar, a nível de Escola, a 5ª edição do Concurso Nacional de Leitura. Contamos com a colaboração de todos na divulgação do concurso e no estímulo à participação dos nossos alunos, que tão bons resultados têm obtido.

Para esta edição a equipa da BE escolheu como obras de leitura obrigatória

3º CICLO

FERREIRA, José Gomes – Aventuras de João Sem Medo. Lisboa: Moraes Editores, 1980BESSA-LUÍS, Agustina – Dentes de Rato. Lisboa: Guimarães Editores, 1991. ISBN 972-665-075-5


SECUNDÁRIO:

BRANCO, Camilo Castelo – A Queda de um Anjo. Lisboa: Ulisseia, s/d. ISBN 972-56-8143-6
COUTO, Mia – Mar Me Quer. Lisboa: Caminho, 2000. ISBN 978-972-21-1374-8


Inscrições na Biblioteca até 22 de Novembro ; Prova a 5 de Janeiro de 2011

terça-feira, 19 de outubro de 2010

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

ESCRITARIA 2010 - AGUSTINA BESSA-LUIS

Depois de José Saramago, em 2009 e de Urbano Tavares Rodrigues, em 2008, o Escritaria em Penafiel 2010 é dedicado à escritora Agustina Bessa-Luís que, no dia da abertura, completa 88 anos. Concebido pela Escritaria é novamente organizado pela Câmara Municipal de Penafiel, em parceria com a Escritaria e as Edições Cão Menor, decorrendo entre 15 e 31 de Outubro.

O Escritaria em Penafiel é um projecto multidisciplinar que tem como objectivo viajar pela memória dos nossos escritores mais relevantes, ainda entre nós, e disponíveis para um exercício de partilha, fazendo da ocasião uma oportunidade para produzir trabalhos criativos que sirvam, não apenas como veículos de divulgação mas que tenham um valor artístico, cultural e científico intrínseco, que possam subsistir e ser fruídos, também, autonomamente. Divide-se em várias componentes que se complementam, algumas com carácter de perenidade outras um pouco mais efémeras.

O centro da cidade será novamente receptáculo das intervenções que constituem a contaminação sobre Agustina Bessa-Luís, concebidas por António Castanheira e Rui Martins;

Um colóquio levará ao novo Museu Municipal de Penafiel algumas personalidades relevantes que partilharão com os presentes o seu conhecimento da escritora;

Excepcionalmente, nesta edição, não será produzido o habitual documentário sobre a escritora, sendo substituído por uma exposição interior no Museu - os seis rios - com curadoria, arquitectura, design e videografia de António Castanheira e ilustração de Rui Martins;

Uma obra de arte em torno da obra da convidada - desta vez da responsabilidade dos ilustradores José Miguel Ribeiro, Pedro Zamith e Luís Lázaro- passará a integrar o património cultural de Penafiel;

O teatro marcará presença fora de portas e o cinema chegará pelas mãos de Manoel de Oliveira, que trará pessoalmente o seu Vale Abrão, e por João Botelho, de quem será exibido o filme A Corte do Norte.

Com envolvimentos diversos no projecto, o Escritaria em Penafiel conta este ano com a participação de

Adília Lopes,

Alberto Luís,

António Castanheira,

Diogo Freitas do Amaral,

Fernando Pinto do Amaral,

Filipa Leal,

Inês Pedrosa,

João de Melo,

José Eduardo Agualusa,

José Miguel Ribeiro,

José Luís Peixoto,

Lídia Jorge,

Luís Lázaro,

Manoel de Oliveira,

Maria Barroso,

Maria João Seixas,

Mário Cláudio,

Mário de Carvalho,

Mónica Baldaque,

Patrícia Reis,

Pedro Zamith,

Pilar del Río,

Possidónio Cachapa,

Rui Martins

Urbano Tavares Rodrigues.

http://blog.escritaria.pt/

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

LINCE, o conversor para a nova ortografia da Língua Portuguesa

O Lince é uma ferramenta gratuita que permite converter rapidamente documentos inteiros.
Lançado pelo Ministério da Cultura, este conversor para a nova ortografia portuguesa foi produzido por uma equipa do Instituto de Linguística Teórica e Computacional, sob a orientação da Prof. Doutora Margarita Correia. Está disponível no Portal da Língua Portuguesa, em:

http://www.portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=lince

terça-feira, 12 de outubro de 2010


Mediação familiar
"Os pais educam com um 'sim' a tudo"



? "Muitos pais não sabem ser pais. Educam com um 'sim' a tudo. Fazem o que podem, cansados, e com o pouco tempo que têm, dando tudo às crianças para compensar as suas ausências. Não admira que depois, em adolescentes, estes não tenham o mínimo de regras e de respeito pelos pais." A opinião é de Maria Saldanha Pinto Ribeiro, especialista em mediação familiar, que há muitos anos acompanha os "problemas de autoridade" dos pais em relações aos filhos. "As crianças crescem habituadas a querer e a ter tudo. Não são educadas com valores, mas com idas aos shoppings e com compras. Não crescem em ambientes onde há uma hierarquia e autoridade mas a achar que somos todos iguais", acrescenta a presidente do Instituto Português de Mediação Familiar. Maria Saldanha Pinto Ribeiro considera que ainda mais grave é a falta de autoridade nas escolas. "Ao retirar autoridade aos professores, o Estado só está a deseducar as crianças", acrescenta a mediadora familiar.
in DN, 12.11.2010

Graça Morais

Exposição na Casa Fernando Pessoa - de 29 de Setembro a 31 de Dezembro.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Mário Vargas Llosa, Prémio Nobel da Literatura 2010

«pela sua cartografia das estruturas de poder e pelas suas imagens incisivas da resistência, revolta e derrota dos indivíduos» (Academia Sueca, comunicado de atribuição do prémio)

Centenário da República

[…] Quatro quintas partes do povo português não sabem ler nem escrever, quer dizer: sabem falar incompletissimamente. A palavra escrita é imprescindível para a vida social moderna. Actualmente ela é o instrumento usual mais importante da sociabilidade. Na complexidade da vida de hoje, o homem que não sabe ler e escrever é um homem incompleto, desarmado para a luta do pão quotidiano. É nestas lastimosas condições de inferioridade social que se encontra a maioria da população portuguesa. Incapaz de receber e transmitir ideias e sentimentos, o cérebro da grande massa da sociedade portuguesa, em virtude daquele impiedoso princípio lamarckiano que condena à morte o órgão que não trabalha, definha-se, atrofia-se, lenhifica-se, e a alma portuguesa estagna na tranquilidade morta das águas paludosas. Acrescente-se a esta lenta agonia do espírito nacional a influência corruptora e secular da educação jesuítica, sinistra e deprimente, e a única coisa que espanta verdadeiramente é a pasmosa resistência deste desgraçado povo que tudo tem sofrido e que ainda não sucumbiu totalmente ao peso do seu mau destino. […]

Manuel Laranjeira, "O Pessimismo Nacional", Lisboa, Frenesi, 2009 (publicado em O Norte, 7 de 1908)


http://www.iplb.pt/sites/DGLB/Portugues/noticiasEventos/Paginas/exposicaorepublica2010.aspx

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A Educação e o ideário da República

Nas literaturas vivem todos os sonhos e aspirações humanas. Todas as experiências de sentimento aí aparecem: a curiosidade nova, o amor, o enternecimento, a audácia.

A alma arrastada para a rigidez e secura das abstracções científicas precisa tomar contacto com a vida real, se sorrisos e lágrimas, de amor e sofrimento, de dedicações e heroísmo. Que monstruoso homem esse que aí passa ruminando fórmulas e esquecendo a vida!

Se dá alegria e facilidade intelectual saber classificar uma planta, quanto mais não vale poder sentir-lhe a beleza, o inebriamento de perfume, adivinhar-lhe o sentido oculto, as palpitações intranhas!

E tudo isto é economicamente inútil, mas tudo isto é moralmente sublime.

A educação deve dar o homem a si mesmo, envolvendo-o de claridade interior; dá-lo à família pelo enternecimento, à humanidade pelo amor, ao Universo pelo deslumbramento e pelo sacrifício. Partindo de si, o homem deve abraçar todo o Universo.
Ser boca onde todas as dores venham cantar; olhos onde todos os sofrimentos venham chorar lágrimas de piedade e ternura universais.


Leornardo Coimbra, "Obras Completas", I, tomo I, Lisboa, INCM, 2004 (publicado em A Águia, Porto, ano I, 1ª série, nº1, 1 de Dezembro de 1910).


http://www.iplb.pt/sites/DGLB/Portugues/noticiasEventos/Paginas/exposicaorepublica2010.aspx

terça-feira, 5 de outubro de 2010

http://www.diarioaveiro.pt/

100 anos da República: Aveiro só festejou o acontecimento no dia 7 de Outubro

Maria da Luz Nolasco apela a uma participação dos aveirenses nas acções que a autarquia vai levar a cabo hoje para celebrar os 100 anos da República
“Vivemos uma outra república, com um outro sentido democrático”, disse Maria da Luz Nolasco, vereadora dos Assuntos Culturais da Câmara Municipal de Aveiro, para quem os 100 anos sobre a implantação da república permitem ter uma “maior consciência do papel” de cada um na sociedade.
O município associa-se às Comemorações do I centenário da Implantação da República, hoje, com a realização da actividade “Aveiro nas Páginas da República” durante todo o dia, na Praça da República. Até final do ano estão previstas outras acções evocativas da efeméride.
Maria da Luz Nolasco apela a uma participação activa dos aveirenses nas várias actividades agendadas para hoje. “Queremos que as pessoas venham para a rua, se trajem à época”, disse a autarca que gostaria de ver, em Aveiro, uma alusão sentida à época da primeira república, onde os ideais republicanos eram mais vincados e genuinamente sentidos pela população.
“Aveiro nas Páginas da República”, um projecto elaborado pelo professor Joaquim Rocha (Jackas), tem como finalidade “trazer à memória dos aveirenses e a todos aqueles que naquele dia visitaram a cidade, excertos do que aconteceu há 100 anos atrás em Aveiro”, refere nota da autarquia.

Meia centena de figurinos
Esta acção envolve a participação de cerca de 30 associações e entidades culturais do concelho de Aveiro, uma adesão que Maria da Luz Nolasco considera “muito positiva” e que envolve mais de meia centenas de figurinos, que procurarão retratar os vários estratos da sociedade portuguesa.
Deste modo, “mergulhados na regular feira que ocorria junto à Capela de S. João (que se encontrava edificada no que hoje conhecemos como Rossio), entre hortaliças, aves, oleiros, ferreiros, batatas, padeiras, circulam ilustres aveirenses entre o povo que buscam incessantemente entre os demais, novas da capital”. Com o intuito de recriar esse momento, será, hoje, apresentada uma feira à moda antiga, onde o povo se concentrará para obter informações sobre a revolução.
Uma vez que, aquando da primeira república, em 1910, a velocidade a que a informação corria era reduzida, Aveiro só festejou o acontecimento no dia 7 de Outubro. Entre muitos actos públicos que surgiram para comemorar o feito, Aveiro hasteou a bandeira nos Paços do Concelho por André dos Reis, aquele que seria nomeado Presidente da Comissão Municipal Administrativa Republicana para Aveiro. Este acto será recriado, hoje, pelas 15.30 horas.
Tal como aconteceu em 1910, a Banda Amizade irá interpretar a Portuguesa após o hastear da Bandeira nos Paços do Concelho, o que ocorrerá por volta das 15.45 horas.
Seguindo algumas das referências que existem sobre a implantação da República e de como se terá manifestado na cidade de Aveiro, os grupos polifónicos do concelho de Aveiro entoarão a “Marselhesa” na sua versão original. Será uma das muitas propostas que a organização tem para as Comemorações do Centenário da República e que ocorrerá a partir dos edifícios contíguos à Praça da República pelas 14.30 horas.

Actividades até final do ano
No âmbito das comemorações do centenário da república, o Museu de Aveiro tem patente, até dia 11 de Outubro, a exposição “Bandeira(s) e Hino(s) Nacional”, uma colecção de bandeiras nacionais do Museu Militar do Porto.
No Museu da Cidade de Aveiro está patente, até dia 31 de Outubro, a exposição “O Museu da Cidade celebra a República – Curiosidades da República”, enquanto que a Biblioteca Municipal de Aveiro dá a conhecer, até 15 de Outubro, a exposição documental “A República e a Imprensa”.
O lançamento do “Roteiro Republicano de Aveiro” da autoria de Flávio Sardo e António Neto Brandão será feito no próximo dia 14 de Outubro, pelas 18.30 horas, no Edifício da Antiga Capitania do Porto de Aveiro, que receberá, ainda, no dia 15 de Outubro, as Jornadas de História Local e Património Documental sobre o centenário da República”.
“A República” é, de resto, tema de um ciclo de palestras que o Museu da Cidade de Aveiro vai receber nos meses de Outubro a Dezembro.l


Programa “Aveiro nas Páginas da República”

n 11 - 17.30 horas - Feira à moda antiga e Exposição Documental no Teatro Aveirense e Escola Secundária Homem Cristo - o Povo concentra-se na Praça para saber informações sobre a Revolução;
n 11 horas – Arruada pelas Fanfarras;
n 14.55 horas – Cantar a “Marselhesa”;
n 15.30 horas - Hastear da Bandeira da República nos Paços do Concelho;
n 15.45 horas – Tocar a “A Portuguesa”;
n 16 horas - Discursos Históricos;
n 16.20 horas - Actuação das Bandas;
n 16.30 horas - Tomada de posse da Comissão Municipal Administrativa;
n 17.30 horas - Cantar da “Portuguesa”



Aveiro contribuiu com grandes valores

n A propósito da celebração dos 100 anos da República, Maria da Luz Nolasco lembrou que, durante este período, Portugal e o mundo viveram momentos de grandes convulsões, entre os quais a I Grande Guerra Mundial, que atirou as pessoas para as trincheiras e lutarem pela liberdade, sem esquecer a fome e a crise financeira dos tempos actuais.
A vereadora dos Assuntos Culturais da autarquia aveirense frisou o papel das mulheres na sociedade e no facto de apenas em 1931 uma portuguesa ter conseguido votar. “As mulheres ainda viviam sob algum preconceito e a sua evolução era muito aquém do desejável”, afirmou Maria da Luz, para quem a República foi importante “para uma mudança de mentalidades”, bem como para a “democratização da educação, com a abertura de escolas públicas”.
A autarca frisa o papel de Aveiro durante a república, com a contribuição de uma “plêiade de pessoas”, um conjunto “de valores da cultura, da arte da política”, de “gente eloquente” que são uma referência para os actuais agentes sociais e que reforçam o “despertar político muito aceso” que sempre existiu em Aveiro e que justificam, no seu entender, um centro de estudos políticos.

1910 – o ano da República



EXPOSIÇÃO na Biblioteca Nacional, corredor do Auditório | Entrada livre | até 23 Outubro
http://www.bnportugal.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=482:exposicao-1910-o-ano-da-republica&catid=144:2010&Itemid=523

Breve Cronologia da República em Aveiro 1910



6 de Outubro - A implantação da República foi publicamente proclamada em Aveiro; arbitrariamente tomou posse da Câmara o Comité Revolucionário de Aveiro, formado por Alfredo de Lima e Castro, André João dos Reis, Eduardo de Pinho das Neves, Alberto Souto Ratola, José Marques de Almeida, António Fernandes Duarte Silva e Arnaldo Ribeiro, que esteve em exercício até ao dia 10.

8 de Outubro - Toma posse o primeiro governador civil republicano de Aveiro, Albano Coutinho, logo substituído em Dezembro por Henrique Weiss de Oliveira.

9 de Outubro - Efectuou-se o acto de posse da Comissão Municipal Administrativa do Concelho de Aveiro, após a implantação da República, na presença de muitas pessoas, tendo ficado como presidente André João dos Reis

21 de Outubro - Da Igreja de Jesus foi levado para a vizinha igreja paroquial de Nossa Senhora da Glória o Santíssimo Sacramento, sendo lacrados o templo e o mosteiro, encerrados por ordem do Governo da República. Assim terminou definitivamente o ciclo da vida conventual e formativa para que o secular Mosteiro de Jesus havia sido fundado em 16 de Maio de 1461.

25 de Outubro - Saíram do Convento do S. João Evangelista as últimas moradoras, aí recolhidas desde a morte da última religiosa carmelita

30 de Outubro - A Comissão da Freguesia da Vera Cruz, nomeada logo após o advento da República, deliberou demolir a capela de S. João Baptista, no Rossio

2011

11 de Fevereiro - Começou a publicar-se “A Liberdade”, semanário republicano dirigido por Alberto Souto, suspenso em 12 de Fevereiro de 1915

23 de Agosto - Um decreto assinado pelos ministros Afonso Costa e José Relvas determina o seguinte: “1.º – São cedidos à Câmara Municipal do Concelho de Aveiro os edifícios e suas dependências dos extintos conventos de Jesus e das Carmelitas nessa cidade, a fim de neles instalar repartições públicas, escolas, tribunais e quartéis de polícia; 2.º – A parte do convento de Jesus, contígua ao claustro e à igreja, a qual já foi declarada monumento nacional, será destinada à instalação de um museu regional de arte antiga e moderna”.

5 de Outubro - Dirigido por Alberto Fonseca, publicou-se um jornal denominado “Cinco de Outubro”, que teve por lema “Justiça, Liberdade, Igualdade e Fraternidade”.

Fontes:
Rangel de Quadros, “Aveiro – Apontamentos Avulsos”; Arquivo Municipal de Aveiro; Diário do Governo; Governo Civil de Aveiro


http://www.diarioaveiro.pt/

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Centenário da Implantação da República


NOTÍCIAS DA ÉPOCA

Reportagens e fotos da Revolução Republicana na Revista «Ilustração Portuguesa»

Edição de 10 de Outubro de 1910
http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/IlustracaoPort/1910/N242/N242_master/N242.pdf
Edição de 17 de Outubro de 1910
http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/IlustracaoPort/1910/N243/N243_master/N243.pdf

Reportagem e fotos da Revolução Republicana na Revista «Ocidente»
http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/Ocidente/1910/N1144_1145/N1144_1145_master/N1144_1145.pdf

O busto da República - Ilda Pulga


Da Agência Lusa, 26 de Janeiro de 2010, retivemos o seguinte:
"O orgulho está patente na forma como um dos descendentes de Ilda Pulga, a “musa” que serviu de modelo para o primeiro busto da República, descreve a sua familiar, que supõe ter sido “uma mulher atrevida” para a época.
“Deverá ter sido uma mulher lindíssima, para o escultor a ir buscar para ser o seu modelo para o busto, o que me leva a pensar também que terá sido uma pessoa muito atrevida” para a época, afirma à agência Lusa Joaquim Pulga.Apesar de não ter conhecido Ilda Pulga, que faleceu em 1993, com 101 anos, o sobrinho bisneto da mulher que posou e inspirou o escultor que concebeu o busto da República encara esse facto como “um afago para o ego”. “Uma pessoa que, aos 18 ou 19 anos, serve de modelo a um escultor para busto da República deve ter evoluído de uma forma diferente do comum dos mortais”, presume, considerando que a sua familiar “terá sido uma mulher com uma vida cultural muito intensa”.
O interesse de Joaquim Pulga pelo assunto “nasceu” em 1993, depois de ler num jornal a notícia da morte da Ilda Pulga. Na altura, desconfiou, porque, segundo diz, “Pulgas em Portugal só há uma família”, que é a sua. “Ao ver no jornal Ilda Pulga, natural de Arraiolos, fui procurar, mas foi muito difícil, porque tinha de entrar nos arquivos da igreja”, conta, lembrando que “só a partir da implantação da República é que os assentos começaram a ser feitos no registo civil”.Joaquim Pulga ficou então a saber que “a senhora foi para Lisboa muito jovem, com os seus 10 a 13 anos”, e que “as fomes daquela altura”, no Alentejo, que “eram muito grandes”, terão motivado a sua mudança para a capital. “Deve ter ido para Lisboa à procura de uma vida melhor".
Busto fica inalterado:
O busto da República foi aprovado oficialmente em 1911 mas a Comissão para as comemorações do centenário desvaloriza qualquer intenção em alterar a escultura, como ocorreu em França. Após a libertação de Paris, em 1944, durante a II Guerra Mundial, a Associação dos Autarcas Franceses decidiu mudar periodicamente o busto de "Mariana", adoptando como modelos artistas de cinema e da música francesas contemporâneas, sendo a manequim e actriz Laetitia Casta o modelo actual da escultura.
Em Portugal, a escultura não sofreu alterações e passado um século da Revolução de 5 de Outubro de 1910 a Comissão para as Comemorações do Centenário não prevê a modernização do símbolo. Também António Arnaut, antigo grão mestre do GOL, considera que alterar o busto da República seria deturpar os símbolos originais da República Portuguesa. "Os símbolos são representações perpétuas da ideia. Mudar o busto seria um absurdo. Uma profanação", disse António Arnaut à Lusa.Foi criada uma bandeira, um hino e um busto. Símbolos que não podem ser alterados sob pena de alterar os valores da República: Liberdade, Igualdade e Fraternidade, herdados da Maçonaria".
A estátua ainda actual é da autoria do escultor Simões de Almeida e está exposta no Museu das Belas Artes. em Lisboa.

sábado, 2 de outubro de 2010

Centenário da morte de Mark Twain

O centenário da morte de Mark Twain é assinalado em Portugal com mais dois eventos relevantes.
A 8 de Outubro há um colóquio internacional na Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento http://www.flad.pt/?no=3000001576:08102010
Entre 1 e 31 de Outubro, na Biblioteca Nacional, estará patente a exposição «Twain em Portugal» http://www.bnportugal.pt/

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A Biblioteca de Babel… a utopia da sua criação

Eu, co-dinamizador deste blogue, frequento nestes momentos uma acção de formação sobre "Biblioteca Escolar, Literacias e Currículo". Numa sessão de reflexão abordou-se um artigo de Carlos Fiolhais, "O Futuro dos Livros e das Bibliotecas" que pode ser lido em
http://dererummundi.blogspot.com/2010/04/o-futuro-dos-livros-e-das-bibliotecas.html

Com o meu grupo de trabalho, engendrei um texto e quero partilhá-lo convosco. Leiam os dois textos e comentem também...

A Biblioteca de Babel, como foi dito no documento de reflexão, é tecnologicamente possível. Se a compararmos com uma estrutura semelhante à ONU, nas suas idiossincrasias, aperceber-nos-emos que a transposição do modelo transportaria consigo as virtudes, poucas, e os defeitos, muitos da ONU. Assim, o modelo de Babel é possível mas exige tolerância e respeito quer na construção do acervo que no acesso à informação disponibilizada. Como seria gerir as diferentes culturas e religiões, as diferentes formas de governo e suas ideologias e os reflexos que transportam para as políticas editoriais?

Dir-se-ia que um tal repositório só beneficiaria os mais desenvolvidos, os mais literatos, os mais tecnológicos, enfim ... os de sempre! Mas, e então? Os avanços da ciência e da tecnologia não acabam por estender-se a toda a humanidade? E aqui as bibliotecas continuarão a ter um papel fulcral na democratização e acessibilidade ao digital. A sua construção, se for expressão de uma vontade universal, possível, abriria uma fonte inesgotável de conhecimento, ao alcance de toda a Humanidade. Porém, dado o diferente estado de desenvolvimento dos povos, a fruição desse conhecimento seria desigual. Estaríamos então perante um aspecto que se nos afigura pertinente: a transposição das questões relativas às bibliotecas físicas para as bibliotecas digitais não será transpor velhos problemas para novos formatos? Referimo-nos a questões como direitos autorais, copyright, depósito legal e propriedade digital.

A biblioteca digital traz consigo a rapidez do acesso à informação, a partilha simultânea de documentos, a eliminação de barreiras físicas, a capacidade do copiar/colar e a actualização permanente do seu acervo. Traz ainda a capacidade singular da construção do seu conhecimento poder ser realizada externamente com o contributo dos utilizadores. Parece-nos, no entanto, que nesta modernidade, outras questões aguardam por uma solução conveniente: estarão os utentes preparados para lidar com a biblioteca digital (ou, ainda a biblioteca física), superando a barreira que as literacias da comunicação, da informação e da leitura lhes colocam?

As bibliotecas híbridas parecem-nos ser uma parte da solução: a complementaridade das suas características (físicas e virtuais) permitiria satisfazer utilizadores mais heterogéneos nas competências e capacidades de interacção.

Da nossa reflexão, julgamos que a “Biblioteca de Babel” é viável: basta ser razoável e exigir o (im)possível.

José Caseiro, Fátima Carreira, Teresa Lacerda, Teresa Neves

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Centenário da Implantação da República



Recursos digitais sobre a I República para o 1º e 2º CEB - http://nonio.eses.pt/eb1/professores/aula_1.asp?periodo=1
Página da Comissão Nacional das Comemorações do Centenário da República - http://www.centenariorepublica.pt/

Secção das Escolas da página anterior - http://www.centenariorepublica.pt/lista-area/republica-escolas
Página da RTP sobre as Comemorações do Centenário da República - http://ww1.rtp.pt/wportal/sites/tv/centenariodarepublica/

Exposição «Letras e cores, ideias e autores da República» - http://www.iplb.pt/sites/DGLB/Portugues/noticiasEventos/Paginas/exposicaorepublica2010.aspx

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Exposição "Letras e Cores, Ideias e Autores da República"




Está em Águeda, vai estar em Albergaria-a Velha a partir do próximo dia 27 e em Anadia e em Ovar a partir de 4 de Outubro; nas respectivas Bibliotecas Municipais.

http://www.iplb.pt/sites/DGLB/Portugues/noticiasEventos/Paginas/exposicaorepublica2010.aspx

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Três portas principais



Ler e imaginar são duas das três portas principais — a curiosidade é a terceira — por onde se acede ao conhecimento das coisas. Sem antes ter aberto de par em par as portas da imaginação, da curiosidade e da leitura — não esqueçamos que quem diz leitura diz estudo—, não se vai muito longe na compreensão do mundo e de si mesmo.

“El concepto de utopía ha hecho más daño que bien”, La Prensa Gráfica, San Salvador, 1 de Junho de 2005


http://caderno.josesaramago.org/

terça-feira, 21 de setembro de 2010

"por onde me levam os livros?"

“(…) os livros levam-nos sempre, de uma maneira ou de outra, a outros livros, que nos levam por outra vez a outros livros, mesmo quando os links já se tornaram tão subtis, tão ténues ou ocultos, que já nem damos por eles.”
José Mário Silva , Póvoa do Varzim, Fev ./2009 – “Correntes d´Escritas” - In http://bibliotecariodebabel.com/geral/mesa-7/

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

"Por onde me levam os Livros?"

«A vários locais levam os livros. E esta viagem pode ser feita pelo leitor, que viaja por entre as paisagens e locais descritos, como pelo autor, que viaja dentro de si mesmo. O que realmente importa é que estejamos abertos a essa viagem, pelo tempo ou pelo espaço, por mundos reais ou imaginários.»
José Mário Silva , Póvoa do Varzim, Fev ./2009 – “Correntes d´Escritas” - In http://bibliotecariodebabel.com/geral/mesa-7/

"Por onde me levam os Livros?"

«Os livros não nos levam, porém, apenas a lugares que existem. Também nos conduzem a lugares impossíveis.»
José Mário Silva , Póvoa do Varzim, Fev ./2009 – “Correntes d´Escritas” - In http://bibliotecariodebabel.com/geral/mesa-7/

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

“Por onde me levam os livros?”


“Sinto-me tentado a dar a resposta mais óbvia: levam-me por todo o lado. A literatura é, foi e continuará a ser o mais completo dos passaportes. Aquele que nos permite viajar até aos confins do mundo sem sairmos do nosso quarto. Sim, um livro pode ser uma caravela, um TGV, uma nave espacial, uma máquina do tempo. Isto é, um meio de transporte, mas no sentido metafísico do termo. Quando o metemos no bolso, é uma multidão que metemos no bolso: dezenas de personagens, as suas vidas, as suas rotinas, os seus júbilos, a sua solidão. Quando o arrumamos na estante, arrumamos épocas inteiras, impérios, dinastias; ou então coisas pequenas, um cortejo de gestos, palavras por dizer, crepúsculos, amores perdidos. Um livro pode levar-nos à esquina de uma rua que não existe, mas é todas as ruas, ou ao fundo mais fundo do universo.
Posso dar exemplos. É sempre bom dar exemplos.”
José Mário Silva , Póvoa do Varzim, Fev ./2009 – “Correntes d´Escritas” - In http://bibliotecariodebabel.com/geral/mesa-7/

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Lauro Corado, um aveirense em Aveiro

Exposição no edifício da Capitania - acervo municipal de Lauro António

Até 12 de Setembro.
De 3ªa 6ª: 14h00-18h00; ao Sábado: 15h00-19h00 / 21h00-23h30; ao Domingo: 15h00-19h00
Entrada livre

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

PRONTOS PARA RECOMEÇAR?

Bom ano lectivo, bom trabalho!
Estamos à vossa espera no domuslibrorum.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO (Azinhaga do Ribatejo, 1922 - Lanzarote, 2010)

http://www.josesaramago.org/


Hoje, sexta-feira, 18 de Junho, José Saramago faleceu às 12.30 horas na sua residência de Lanzarote, aos 87 anos de idade, em consequência de uma múltipla falha orgânica, após uma prolongada doença.
O escritor morreu estando acompanhado pela sua família, despedindo-se de uma forma serena e tranquila.

Fundação José Saramago
18 de Junho de 2010




http://caderno.josesaramago.org/
PENSAR, PENSAR
Junho 18, 2010 por Fundação José Saramago
Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de refexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, não vamos a parte nenhuma.

Revista do Expresso, Portugal (entrevista), 11 de Outubro de 2008

sábado, 12 de junho de 2010

por Terras do Demo com Aquilino Ribeiro - "Ó cagaréus de Aveiro, vinde cá agora, vinde" ("O Malhadinhas")

É por aqui que vamos andar hoje: (Soutosa, a casa-museu, sede da Fundação; Carregal da Tabosa, a casa de nascimento e o Pátio Aquiliniano; Lapa, o colégio, o santuário, a nascente do Vouga; Trancoso ...)

A Beira Alta não tem símile no Mundo. Em poucas dezenas de quilómetros reproduz-se a terra toda: amenidade e braveza, a colina e o vale, a civilização e a selvajaria.
(A. R. , conferência no Brasil, 1952)

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

O Lince, conversor para a nova ortografia, é lançado hoje pela Ministra da Cultura. Permitirá converter textos em formatos DOC, PDF, ODT, RTF e TXT; o produto dos textos inseridos em formato PDF será um documento noutro formato.

"O Lince é uma ferramenta de apoio à implementação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa que converte o conteúdo de ficheiros de texto para a grafia neste momento a ser introduzida em vários países do espaço da CPLP. Suporta vários formatos e permite converter em simultâneo um número elevado de ficheiros de qualquer dimensão."


Endereço para download:
http://www.portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=lince

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Morreu o autor do "Bando dos Quatro" - João Aguiar [1943-2010]

"O escritor João Aguiar, de 66 anos, morreu hoje, em Lisboa, vítima de cancro, disse à Lusa fonte próxima da família.
A doença que veio a provocar-lhe a morte impediu-o de concluir o livro que preparava sobre a revolução de 1383 (DR - David Nogueira e Ernesto Faísca)

João Casimiro Namorado de Aguiar escreveu mais de duas dezenas de romances e criou duas séries de televisão destinadas ao público mais jovem - “Sebastião e os Mundos Secretos” e o “Bando dos Quatro”, no qual ele próprio figura na personagem do Tio João.

João Aguiar foi um dos cultores em Portugal do chamado romance histórico, com “A Voz dos Deuses”, publicado em 1984.

João Casimiro Namorado de Aguiar nasceu a 28 de Outubro de 1943 e viveu a infância entre Lisboa - a sua cidade-natal - e a Beira, em Moçambique. A mãe ensinou-o a ler para mantê-lo sossegado na cama, durante um longo período de doença, e de leitor interessado passou rapidamente a aspirante a escritor.

Aos oito anos, tentou ditar um livro de aventuras à irmã Maria João mas o sentido crítico dela arrasou-lhe as pretensões. Insistiu com novas obras que foi deitando para o lixo e teve mesmo um “primeiro” livro que só não viu a luz do dia porque a editora faliu antes. Só depois dos 40 anos publicou o primeiro romance, na Perspetivas & Realidades de João Soares: “A Voz dos Deuses”, uma ficção histórica centrada na figura de Viriato.

Seguiram-se duas dezenas de romances que o levaram a estudar a história mais remota de Portugal - regressou aos primórdios para falar de Sertório e publicou até um trabalho não ficcionado sobre o menino do Lapedo. Viajou para Macau com a ficção para escrever “Os Comedores de Pérolas” e “O Dragão de Fumo”.

Pelo meio, João Aguiar criou duas séries destinadas ao público mais jovem - “Sebastião e os Mundos Secretos” e o “Bando dos Quatro” e fez também o libreto para a ópera “A Orquídea Branca” de Jorge Salgueiro, estreada em 2008.

A doença que veio a provocar-lhe a morte impediu-o de concluir o livro que preparava sobre a revolução de 1383.

João Aguiar frequentou em Lisboa os cursos superiores de Direito e Filosofia mas foi em Bruxelas que se licenciou em Jornalismo, profissão que entretanto tinha começado a exercer. Na Bélgica, fez um pouco de tudo, desde lavar escadas a trabalhar no Turismo de Portugal.

De regresso a Portugal, fez o serviço militar e uma comissão em Angola no sector da acção psicológica, produzindo rádio para as tropas.

Considerou-se sempre jornalista, mesmo passados largos anos desde que abandonara a actividade profissional. Começou pela RTP - onde também coordenou uma série da Rua Sésamo - e passou depois por jornais como "Diário de Notícias", "A Luta", "O País". Fez rádio no Canadá, onde trabalhou com Henrique Mendes.

Dizia-se um “monárquico não tradicionalista”, justificava-o “por uma questão pragmática”. O último romance que publicou - “O Priorado do Cifrão” - era uma “charge” ao mundo criado por Dan Brown.

Numa autobiografia irónica que escreveu para o "Jornal de Letras" em 2005, João Aguiar concluía: “A minha vida não dava um livro, e ainda bem. Em compensação, o facto de os meus livros darem uma vida -- boa ou má, não importa para o caso - , esse facto devo-o, em grande parte, aos momentos de não-glória que acabo de relatar. E estou-lhes muito grato.”


http://www.publico.pt/Cultura/morreu-o-escritor-joao-aguiar_1440364?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoRSS+%28Publico.pt%29&utm_content=Google+International

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Ferreira Gullar - Prémio Camões 2010




Um instante


Aqui me tenho
Como não me conheço
nem me quis

sem começo
nem fim

aqui me tenho
sem mim

nada lembro
nem sei

à luz presente
sou apenas um bicho
transparente



Ferreira Gullar (pseudónimo de José Ribamar Ferreira) é um poeta, crítico de arte, biógrafo, tradutor, memorialista e ensaísta brasileiro nascido em São Luís do Maranhão, a 10 de Setembro de 1930 .

terça-feira, 1 de junho de 2010

HOJE É O DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

A 8 de Junho passam 80 anos sobre a inauguração do Portugal dos Pequenitos.
Por isso, entre os dias 1 e 10, há programação especial neste que é um dos mais famosos parques temáticos infantis.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

FEIRA DO LIVRO DE AVEIRO

Já abriu, no Rossio.
Hoje, ao final da tarde, as Bibliotecas Escolares do concelho estarão presentes mostrando algumas actividades de promoção da leitura e das literacias.
Nós, ESJE, vamos acompanhar o Lucas e a sua "História da Bolacha Maria". Passem por lá!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Dia da Escola, dias de escola

Hoje é o Dia da NOSSA ESCOLA.
Ainda em obras, com espaço reduzido, não deixaremos de ter às 17 horas, no refeitório, a sessão de entrega de prémios.
Ao reconhecer publicamente o que de bom fazem alguns dos nossos alunos, estamos a homenagear o nosso patrono!
Não deixem de prestar atenção aos trabalhos finais das áreas de projecto - exposições, demonstrações, colóquios,... trazem sempre muitas surpresas.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Música No Domus....

Hoje há música no Domuslibrorum: Guitarra Portuguesa.
A Guitarra portuguesa é um cordofone de 12 cordas em pares oitavados com a afinação BAEBAD. É um instrumento muito versátil, como se pode ouvir nesta composição de Paulo Soares,interpretada pelo autor no átrio do Museu Machado de Castro,Coimbra, Portugal.




Today there is music in Domuslibrorum: Portuguese Guitar.
The Portuguese guitar is a 12-string cordophone eighths in pairs with the pitch BAEBAD. It is a very versatile instrument, as you can hear in this piece of Paulo Soares, played by the author in the lobby of the Museum Machado de Castro, Coimbra, Portugal.

sábado, 15 de maio de 2010

Dia Internacional dos Museus - 18 de Maio

Noite dos Museus - Museu de Aveiro - Programa 15 Maio

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Livros e estantes


Estante circular , "patente na Universidade de Roskilde, Dinamarca. O ideal para quem mude muitas vezes de casa..." IN
http://dererummundi.blogspot.com/

terça-feira, 11 de maio de 2010

Palavras para reflexão

"Sempre se soube disso (pedofilia), mas hoje podemos constatar de maneira realmente aterradora: a maior das perseguições contra a Igreja não advém de inimigos externos, mas nasce do pecado no seio da Igreja, e a Igreja, portanto, tem uma profunda necessidade de reaprender a penitência, de aceitar a purificação, de aprender, por um lado, o perdão, mas também a justiça. O perdão não substitui a justiça."

PAPA BENTO XVI, de viagem a Portugal - 11 de Maio, a bordo do avião

domingo, 9 de maio de 2010

HOJE É O DIA DA EUROPA


Em 9 de Maio de 1950, Robert Schuman apresentou uma proposta de criação de uma Europa organizada, requisito indispensável para a manutenção de relações pacíficas.

Esta proposta, conhecida como "Declaração Schuman", é considerada o começo da criação do que é hoje a União Europeia.

Actualmente o dia 9 de Maio tornou-se um símbolo europeu (Dia da Europa) que, juntamente com a bandeira, o hino, a divisa e a moeda única (o euro), identifica a identidade política da União Europeia. O Dia da Europa constitui uma oportunidade para desenvolver actividades e festejos que aproximam a Europa dos seus cidadãos e os povos da União entre si.

http://europa.eu/abc/symbols/9-may/index_pt.htm

quarta-feira, 5 de maio de 2010

5 de Maio, Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP

Hoje é o Dia do Ambiente



Lembremo-nos de S. Francisco,
o que nasceu em Assis
e falava com as águas,
com as árvores e com os bichos,
sentindo-se assim feliz
por respeitar todas as coisas
que eram a sua raiz.
E o homem poluidor
do nosso tempo moderno,
destruindo o ambiente,
além de não ser eterno,
acaba sempre por fazer,
mesmo sem o querer,
da nossa vida um inferno.

José Jorge Letria
(in "O livro dos Dias")

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Hoje é o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.


Bem precioso e nem sempre condignamente respeitado, a liberdade de expressão está consagrada no artigo 19º da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

LER, ESTUDAR, CONHECER


«Não há, na educação, como em todos os outros sectores da actividade humana, uma varinha de condão capaz de resolver os problemas com que nos debatemos ou mesmo de transformar o difícil em fácil.
Só com muito trabalho, muita dedicação e muito esforço, em particular por parte de quem tem responsabilidades ao nível do funcionamento das escolas, será possível enfrentar e ultrapassar as questões tão graves que a educação encara e vai continuar a encarar, uma vez que a educação não é um projecto delimitado no tempo, mas antes um processo intemporal em que todos participamos como protagonistas, seja como pais, como professores ou como educadores.»
Eduardo Marçal Grilo

sábado, 24 de abril de 2010

25 DE ABRIL


Esta é a madrugada que eu esperava

O dia inicial inteiro e limpo

Onde emergimos da noite e do silêncio

E livres habitamos a substância do tempo.


Sophia de Mello Breyner Andresen

quinta-feira, 22 de abril de 2010

"O Futuro dos Livros e das Bibliotecas"


No link do título um excelente artigo de Carlos Fiolhais.

Não percam

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Prova Distrital do CNL


Se no ano passado a participação da Escola (dinamizada pela Biblioteca Escolar) foi proveitosa (1º Lugar no Ensino Básico) este ano foi, pelo menos, honrosa. Embora um representante do Ensino Básico tenha passado à segunda fase, não se "aguentou" nas provas seguintes.
Como disse uma aluna, manifestando alguma insatisfação, no próximo ano "voltamos para arrasar"! Até lá!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

CNL- fase distrital

É já amanhã, na Biblioteca Municipal de Anadia!
Boa sorte aos nossos alunos apurados nas provas realizadas na escola.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Jaime Salazar Sampaio (1925-2010)

O engenheiro que se tornou dramaturgo
Mais de meia centena de peças de teatro constituem o principal legado da escrita deste autor, que foi também tradutor e poeta. Uma obra que espera ainda o devido reconhecimento
Por Sérgio C. Andrade no "Público"


">n
http://aeiou.visao.pt/morreu-jaime-salazar-sampaio=f555350

segunda-feira, 29 de março de 2010

Tempos de Mudança

Estamos a mudar...
Entre a "biblioteca histórica" e a perspectiva da mudança - o novo espaço, o que poderemos vir a fazer ali - cresce alguma nostalgia.

domingo, 28 de março de 2010

Bicentenário do nascimento de "Alexandre Herculano: Homem sem fronteiras"

Um dos nomes fundamentais da Literatura e da História de Portugal, Alexandre Herculano nasceu há dois séculos. Viveu 67 anos. O tempo suficiente para ser poeta, historiador, político, jornalista, agricultor, romancista, polemista, tradutor. O suficiente para ser um inovador do seu tempo. Para, hoje, data do seu aniversário, ser importante falar dele. (...)
Além do romance histórico, escreveu ficção, poesia, ensaios, memórias e narrativas de viagens; foi também tradutor e dramaturgo.
Cláudia Luís http://w3.jn.pt/Domingo/interior.aspx?content_id=1530191

sábado, 27 de março de 2010

HOJE É O DIA MUNDIAL DO TEATRO

O ACTOR
(HERBERTO HÉLDER)

O actor acende a boca. Depois os cabelos.
Finge as suas caras nas poças interiores.
O actor põe e tira a cabeça
de búfalo.
De veado.
De rinoceronte.
Põe flores nos cornos.
Ninguém ama tão desalmadamente
como o actor.
O actor acende os pés e as mãos.
Fala devagar.
Parece que se difunde aos bocados.
Bocado estrela.
Bocado janela para fora.
Outro bocado gruta para dentro.
O actor toma as coisas para deitar fogo
ao pequeno talento humano.
O actor estala como sal queimado.

O que rutila, o que arde destacadamente
na noite, é o actor, com
uma voz pura monotonamente batida
pela solidão universal.
O espantoso actor que tira e coloca
e retira
o adjectivo da coisa, a subtileza
da forma,
e precipita a verdade.
De um lado extrai a maçã com sua
divagação de maçã.
Fabrica peixes mergulhados na própria
labareda de peixes.
Porque o actor está como a maçã.
O actor é um peixe.

Sorri assim o actor contra a face de Deus.
Ornamenta Deus com simplicidades silvestres.
O actor que subtrai Deus de Deus, e
dá velocidade aos lugares aéreos.
Porque o actor é uma astronave que atravessa
a distância de Deus.
Embrulha. Desvela.
O actor diz uma palavra inaudível.
Reduz a humidade e o calor da terra
à confusão dessa palavra.
Recita o livro. Amplifica o livro.
O actor acende o livro.
Levita pelos campos como a dura água do dia.
O actor é tremendo.
Ninguém ama tão rebarbativamente como o actor.
Como a unidade do actor.

O actor é um advérbio que ramificou
de um substantivo.
E o substantivo retorna e gira,
e o actor é um adjectivo.
É um nome que provém ultimamente
do Nome.
Nome que se murmura em si, e agita,
e enlouquece.
O actor é o grande Nome cheio de holofotes.
O nome que cega.
Que sangra.
Que é o sangue.
Assim o actor levanta o corpo,
enche o corpo com melodia.
Corpo que treme de melodia.
Ninguém ama tão corporalmente como o actor.
Como o corpo do actor.

Porque o talento é transformação.
O actor transforma a própria acção
da transformação.
Solidifica-se. Gaseifica-se. Complica-se.
O actor cresce no seu acto.
Faz crescer o acto.
O actor actifica-se.
É enorme o actor com sua ossada de base,
com suas tantas janelas,
as ruas -
o actor com a emotiva publicidade.
Ninguém ama tão publicamente como o actor.
Como o secreto actor.

Em estado de graça. Em compacto
estado de pureza.
O actor ama em acção de estrela.
Acção de mímica.
O actor é um tenebroso recolhimento
de onde brota a pantomina.
O actor vê aparecer a manhã sobre a cama.
Vê a cobra entre as pernas.
O actor vê fulminantemente
como é puro.
Ninguém ama o teatro essencial como o actor.
Como a essência do amor do actor.
O teatro geral.

O actor em estado geral de graça.

sexta-feira, 26 de março de 2010

28 de Março, Dia Municipal do Imigrante

A comemoração do Dia Municipal do Imigrante, a realizar no dia 28 de Março de 2010, no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro, das 14H15 às 18H00, tem como objectivo valorizar a presença de cidadãos imigrantes e do seu contributo para o Concelho de Aveiro.
Esta iniciativa insere-se no Projecto Aveiro+Intercool, promovido pelo Centro Social Paroquial da Vera Cruz na valência de CLAII - Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes, do qual fazem parte vários parceiros locais. Contemplará Exposições e o Sarau dinamizados pelas Associações Locais, visando contribuir para a promoção da interculturalidade, a sensibilização da sociedade para a integração saudável e interacção enriquecedora no acolhimento dos imigrantes.

domingo, 21 de março de 2010

HOJE É O DIA MUNDIAL DA POESIA e O DIA DA ÁRVORE

No dia 21 de Março começa oficialmente a Primavera. Desde 1999, por proclamação da UNESCO, este é o Dia Mundial da Poesia.
Por solicitação da professora de Literatura Portuguesa, os alunos do 11º H escolheram poemas de autores portugueses sobre a "nova" e tão ansiada estação do ano.
M. descobriu uma elegia chinesa na "Clepsidra" de Camilo Pessanha, que acabámos há dias de estudar nas aulas ( Módulo 1 - Romantismo, Realismo e Simbolismo):

Fantasia da Primavera

Cai o sol no imenso horizonte, em flor, do Kiang.
Pára o viandante a olhar. A chuva, que do arvoredo
ainda goteja, vai-lhe repassando a túnica...
Oh! se dos mil chorões, à volta das ruínas do palácio real de Ch'u,
As flores soltas me fizessem cortejo, à despedida, no
regresso à Pátria!

In "Clepsidra e outros Poemas", Elegia VI (tradução de Camilo Pessanha), p. 116; Ática, 1992, 7.ª edição

sábado, 20 de março de 2010

HOJE É O DIA INTERNACIONAL DA FRANCOFONIA


"A Francofonia - A Organização Internacional da Francofonia é uma instituição fundada sobre o princípio de uma língua e de valores comuns. Ela conta atualmente com 56 Estados e governos membros e 14 associados e representa mais de 800 milhões de pessoas que compartilham o idioma francês e os valores universais. A Organização Internacional da Francofonia conduz ações nos campos da política internacional e da cooperação multilateral. Abdou Diouf, ex-Presidente do Senegal, é o Secretário-Geral da Organização desde 2002."

Site da Organização Internacional da Francofonia: http://www.francophonie.org

Site local da francofonia (em português): http://www.francofonia.org.br

segunda-feira, 15 de março de 2010

HOJE É O DIA MUNDIAL DO CONSUMIDOR

Como se lê no Público", "Dia do Consumidor são todos. Hoje é só a comemoração."

domingo, 14 de março de 2010

HOJE É O DIA DO PI


π = 3,14
mais precisamente 3,1415926535897932384626433832795 ..........


(assim se lia numa cartolina na parede da antiga Oficina de Matemática, quando ainda era na sala 32, agora na zona da Escola em obras - perguntava-se: até onde nos leva esta sequência?)

sábado, 13 de março de 2010

LITERACIA

(...) ser capaz de ler não define a literacia no complexo mundo de hoje. O conceito de literacia inclui a literacia informática, a literacia do consumidor, a literacia da informação, a literacia visual, a literacia matemática, a literacia das artes e a literacia científica entre outras. Por outras palavras, os adultos letrados devem ser capazes de obter e perceber a informação em diferentes suportes. Além do mais, compreender é a chave. Literacia significa ser capaz de perceber bem ideias novas para as usar quando necessárias.

(...) a escola deve ser de novo convocada a assumir a responsabilidade da preparação para a cidadania. O ensino não pode apresentar-se como instrumental, esvaziado, desligado da construção do cidadão. Cidadania e literacia são indissociáveis; e as políticas de ensino que desliguem a aprendizagem da formação do cidadão estão votadas ao insucesso."

Barbara K.Eric, in "CTAP Information Literacy" (adaptado)

sexta-feira, 12 de março de 2010

Pordata - base de dados Portugal contemporâneo


"Pordata, a maior base sobre 50 anos de evolução da sociedade em Portugal": ma excelente ferramenta de trabalho que vale a pena destacar!


"A PORDATA é um serviço público de informação estatística criado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos e à disposição de todos os interessados.

Aqui encontrará milhares de estatísticas e indicadores sobre os mais diversos aspectos da realidade portuguesa.

Existem várias maneiras de procurar a informação desejada. É possível fazer uma busca por palavra-chave, como no Google, no Yahoo, no Bing e noutras ferramentas similares.

Pode-se aceder por etapas, o que permite visualizar várias possibilidades e ir seleccionando o que se pretende.

O portal permite ainda executar consultas avançadas, incluindo através da selecção de intervalos de tempo ou de anos específicos.

Poderá finalmente efectuar os cálculos que quiser e criar os seus próprios indicadores.

Convidamo-lo a explorar este portal e experimentar todas as suas possibilidades: poderá assim compreender melhor um país que nem todos conhecem, o dos factos.


http://www.pordata.pt/azap_runtime/

quinta-feira, 11 de março de 2010

Óscares 2010

Kathryn Bigelow foi a primeira mulher a ser galardoada com um Óscar para melhor realização cinematográfica pelo seu filme "Estado de Guerra", sobre uma brigada de minas e armadilhas americana no Iraque. Com seis nomeações (era candidato a nove prémios), "esta cineasta do físico derrotou "Avatar" e a sua digitalidade" ("Público"- P2).
Em 82 anos de Óscares esta foi a primeira vez que uma mulher arrebatou a estatueta para melhor realizador.

Uma outra boa forma de a Academia de Hollywood comemorar O Dia Da Mulher!

terça-feira, 9 de março de 2010

Prémio Vida Literária para Maria Helena da Rocha Pereira

Maria Helena da Rocha Pereira, um nome maior na área dos Estudos Clássicos, a primeira mulher a apresentar provas públicas de doutoramento e também a primeira catedrática da Universidade de Coimbra, recebeu mais um prémio que reconhece a extraordinária dimensão da sua obra. Trata-se do Prémio Vida Literária, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores.


Leia em
http://dererummundi.blogspot.com/
excertos da interessantíssima entrevista que, há um ano, Maria Helena da Rocha Pereira deu ao jornalista António Guerreiro e que foi publicada no jornal "Expresso" (revista "Actual")

segunda-feira, 8 de março de 2010

IGUALDADE DE DIREITOS; IGUALDADE DE OPORTUNIDADES; PROGRESSO PARA TODOS


«A igualdade das mulheres e das jovens constitui também um imperativo económico e social. Enquanto não se conseguir libertar as mulheres e as jovens da pobreza e da injustiça, todos os nossos objectivos — a paz, a segurança, o desenvolvimento sustentado — correrão perigo.»


Ban Ki Moon
Secretário-Geral das Nações Unidas

Porque hoje é o DIA MUNDIAL DA MULHER

A Leitora

A leitora abre o espaço num sopro subtil.
Lê na violência e no espanto da brancura.
Principia apaixonada, de surpresa em surpresa.
Ilumina e inunda e dissemina de arco em arco.
Ela fala com as pedras do livro, com as sílabas da sombra.

Ela adere à matéria porosa, à madeira do vento.
Desce pelos bosques como uma menina descalça.
Aproxima-se das praias onde o corpo se eleva
em chama de água. Na imaculada superfície
ou na espessura latejante, despe-se das formas,

branca no ar. É um torvelinho harmonioso,
um pássaro suspenso. A terra ergue-se inteira
na sede obscura de palavras verticais.
A água move-se até ao seu princípio puro.
O poema é um arbusto que não cessa de tremer.


António Ramos Rosa, in "Volante Verde"

domingo, 7 de março de 2010

sábado, 27 de fevereiro de 2010

SEMANA DA LEITURA 2010 - "LER É VER": juntem-se a nós na nossa Biblioteca Escolar!

SEGUNDA-FEIRA, 01/03

9.10 h - Leituras pelo 7º B(Teatro)

10h - durante o intervalo
“Pedra Filosofal “ pelos alunos de 9º A/B/C(EMRC)

11.40h - durante o intervalo
“O Homem das Mãos Atadas” pelos alunos do 8º A (EMRC )




TERÇA-FEIRA, 02/03

9.10 h - Leituras pelo 7º C (Teatro)

15.10h - Leituras pelo actor David Costa (Teatro Aveirense)
Público-alvo: 9ºA e 9ºB

17.40h, durante o intervalo - “Monólogos Vários”
(Clube de Teatro/ EMRC – alunos do Secundário)

17.45h - Apresentação do Livro “O Ninho “, de Alexandra Reis




QUARTA-FEIRA, 03/03

9.10 h - Leituras pelo 8º A (Teatro)

9.45h - “Deixa tudo e lê” (Em simultâneo, nos diversos espaços da Escola)

16.40h - Tertúlia - Leitura Partilhada
(Comunidade Escolar)




QUINTA-FEIRA, 04/03

10.55 h - Leituras pelo 7º A (Teatro)

14.10h - durante o intervalo - “Momento Teatral”, pelo 8º B (Teatro)

15.10h - Leituras pelo actor David Costa (Teatro Aveirense)
Público-alvo: 8ºA , 8ºC e 2º CEF




SEXTA-FEIRA, 05/03

11h - Leituras pelo actor David Costa (Teatro Aveirense)
Público-alvo: 9º C e 8ºB

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Fazer da Semana da Leitura uma festa!

É certo que todas as semanas são semanas de leitura, mas a próxima tem um toque especial...
Já viram como a nossa Biblioteca se "vestiu" para a Semana da Leitura que aí vem?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

LER


"Há uma literatura para quando se está aborrecido. Abunda. Há uma literatura para quando se está calmo. Esta é a melhor literatura, acho eu. Também há uma literatura para quando se está triste. E há uma literatura para quando se está alegre. Há uma literatura para quando se está ávido de conhecimento. E há uma literatura para quando se está desesperado."

Roberto Bolaño, in "Os Detectives Selvagens"

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Correntes d´Escritas: a festa vai começar...


Nove mesas de debate no Auditório Municipal, lançamento de 23 livros, atribuição de três prémios literários, teatro, duas sessões de poesia, lançamento do nº 9 da revista Correntes d’Escritas, uma conferência pela Ministra da Educação, Isabel Alçada, oito mesas de debate para alunos de escolas do e de fora do concelho, exibição de documentários, apresentação de novos projectos, anúncio dos vencedores dos prémios de edição LER/Booktailors, uma merecida homenagem a Rosa Lobato de Faria, uma Feira do Livro e uma 10ª mesa de debate no Instituto Cervantes em Lisboa. Sem fôlego? Assim é o programa
Correntes d´Escritas – Encontro de Escritores de Expressão Ibérica 2010
, a Festa da Literatura que varre a Póvoa de Varzim entre 24 e 27 de Fevereiro.



Leia também:
As Correntes d´Escritas segundo os escritores
O programa do Correntes d´Escritas
As apresentações/lançamentos do Correntes d´Escritas
Correntes d´Escritas com mais de 60 escritores
Os finalistas dos Prémios de Edição LER/BOOKTAILORS
Prémio Literário Casino da Póvoa: conhecidos os finalistas
Educar para o Livro e para a Leitura
Literatura ibérica navega até à Póvoa de Varzim

http://diariodigital.sapo.pt/section.asp?section_id=185

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Semana Internacional do Cérebro de 2010


Promovido pelo Centro de Biologia Celular (CBC) da Universidade de Aveiro (Departamento de Biologia, Secção Autónoma de Ciências da Saúde) e pela
Sociedade Portuguesa de Neurociências, este é um acontecimento internacional, que pretende sensibilizar a população para o cérebro e tudo o que ele envolve.

A Semana Internacional do Cérebro - Brain Awareness Week - irá decorrer entre 15 e 19 Março.

Contactos
Email: cerebroaveiro@gmail.com

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

"Sidereus Nuncius. O Mensageiro das Estrelas", de Galileu Galilei

"Sidereus Nuncius. O Mensageiro das Estrelas", de Galileu Galilei
É uma das obras mais importantes da história do pensamento ocidental: "Sidereus Nuncius. O Mensageiro das Estrelas", publicado em Março de 1610, é o primeiro livro de Galileu Galilei a ser traduzido integralmente em Portugal e vai ser lançado na sessão de encerramento do Ano Internacional da Astronomia. "Galileu escreveu para causar sensação", admite o investigador e tradutor, Henrique Leitão.

Quando foi lançada em Março de 1610, "Sidereus Nuncius" mudou a forma de vermos o mundo. Agora, 400 anos depois da sua publicação, "Sidereus Nuncius. O Mensageiro das Estrelas", com tradução e anotações de Henrique Leitão, é a primeira obra de Galileu Galilei a ser traduzida integralmente em Portugal. O lançamento terá lugar no dia 17 de Março às 18 horas, na Fundação Gulbenkian, por ocasião da sessão de encerramento do Ano Internacional da Astronomia.

"É um livro único na história da ciência e uma das obras mais importantes em toda a história do pensamento ocidental. Nunca na história da ciência uma obra provocou tanta comoção e deu origem a debates tão acesos como este", avança o investigador e tradutor, Henrique Leitão.

"O título, 'Mensageiro das Estrelas' (ou 'Mensagem das Estrelas', porque o latim permite as duas formas) tem o sentido de "Gazeta das Estrelas" ou "Mercúrio das Estrelas", isto é, tem uma clara conotação jornalística: relatar, em tom vivo e rápido acontecimentos e observações sensacionais", explica Henrique Leitão. Segundo o investigador do Centro de História das Ciências da Universidade de Lisboa, Galileu refere-se muitas vezes ao livro como um 'Aviso Astronómico', exactamente com o mesmo sentido. "Ou seja, Galileu escreveu para causar sensação", reconhece.

Para o comissário para o Ano Internacional em Portugal, João Fernandes, "O Mensageiro das Estrelas" é "um marco na astronomia e na ciência". No livro, Galileu revela e discute as primeiras observações astronómicas alguma vez feitas com o auxílio de um telescópio. Entre a Lua, as estrelas e as luas de Júpiter, "O Mensageiro das Estrelas" é "um verdadeiro livro exemplo da Ciência Moderna", sublinha João Fernandes.

Por esse motivo, o Ano Internacional da Astronomia em Portugal escolheu despedir-se na Gulbenkian, a 17 de Março, com o lançamento do livro de Galileu Galilei. Mas não só. Para o mesmo dia está ainda prevista, entre outras iniciativas, a abertura da exposição "A Astronomia no Portugal de Hoje".

IN http://dererummundi.blogspot.com/

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Projecto OS BICHOS

OS BICHOS - a biodiversidade no tempo dos nossos avós


No âmbito do Ano Internacional da Biodiversidade 2010, o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra e o Instituto de Estudos de Literatura Tradicional da Universidade Nova de Lisboa promovem o projecto OS BICHOS, a desenvolver em países de língua oficial portuguesa.

Este projecto consiste na recolha de histórias tradicionais relacionadas com zoologia, mas também com a identificação de conhecimentos empíricos de pesca, pastorícia, pecuária, que possam ter sido usados - ou ainda sejam usados - por pescadores, pastores ou produtores de gado nos seus diversos ofícios. Pretendemos ainda recolher textos em forma de provérbio, adivinha ou lengalenga, desde que sejam de raiz popular e estejam relacionados com as diversas áreas da biologia.
As duas instituições esperam poder contar com a colaboração de parceiros neste projecto, de modo a poder chegar o mais perto possível de pequenas comunidades rurais ou piscatórias, onde este conhecimento ainda não se tenha perdido.



http://www.museudaciencia.pt/index.php

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Agostinho da Silva nasceu há 100 anos

Foi na sua cidade natal, o Porto, que Georges Agostinho Silva fez o essencial da sua educação escolar, desde a primária até à licenciatura (com 20 valores) em Filologias Clássicas e Românicas, na Faculdade de de Letras, poucos anos antes fundada por Leonardo Coimbra. Passou os primeiros anos da sua vida em Barca d´Alva. Estudou em Paris. Leccionou no
LICEU NACIONAL DE AVEIRO (actual Escola Secundária José Estêvão)
, onde se recusou a assinar a Lei Cabral que obrigava todos os funcionários públicos à declaração de não participação em qualquer sociedade ou instituição secreta ou "subversiva" considerada atentatória contra o regime. Impedido de ser professor na escola pública, deu aulas privadas (Mário Soares e Manoel de Oliveira foram alguns dos seus alunos), colaborou em revistas literárias, criou o Núcleo Pedagógico Antero de Quental em 1939, fundou em 1940 os Cadernos de Informação Cultural. Passou pelos calabouços da PIDE, no Aljube, após o que se fixou no Brasil de onde regressou a Portugal em 1969. Livre pensador, filósofo, professor toda a vida, morreu em 1996.


Agostinho da Silva é dos mais paradoxais pensadores portugueses do século XX. O tema mais candente da sua obra foi a cultura de língua portuguesa, num fraternal abraço ao Brasil e aos países lusófonos. Todavia, a questão das filosofias nacionais não é para si decisiva, parecendo-lhe antes uma questão académica: «Não sei se há filosofias nacionais, e não sei se os filósofos, exactamente porque reflectem sobre o geral, se não internacionalizam desde logo».
(...)
Segundo ele, seria possível valorizar aquilo que a seu ver nos distinguiria como povo e como cultura: um povo e uma cultura capazes de albergar em si «tranquilamente, variadas contradições impenetráveis, até hoje, ao racionalizar de qualquer pensamento filosófico».

Império do futuro precavido e purgado dos males que arruinaram os quatro anteriores, sem manias de mando, ambições de ter e de poder, sem trabalho obrigatório, sem prisões e sem classes sociais, sem crises ideológicas e metafísicas. Esse já não era o império europeu, dessa Europa ávida de saber e de poder, e por isso esgotada como modelo para os outros 80% da humanidade, menos ávida de poder e mais preocupada com o ser.

Trazer por isso o mundo à Europa, como outrora levámos a Europa ao mundo, tal a missão da cultura de língua portuguesa, construindo o seu domínio com uma base espiritual e sem base em terra, porque a propriedade escraviza e só não ter nos torna livres.


(Fonte "Público", P2 e http://cvc.instituto-camoes.pt/filosofia/1910h.html)

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Leituras interessantes


António Manuel Baptista – Ciência e Poesia
A exigência que coloca na discussão do conceito de «Ciência» talvez esconda o humanista por detrás do físico: alguém para quem a poesia de Rilke foi um «terramoto» e que fez as primeiras experiências no quintal de casa motivado pelos romances de Júlio Verne.

Ensaio – As guerras sobre a Ciência
Professor de Matemática na Faculdade de Ciências de Lisboa, Jorge Buescu propõe uma leitura moderna, culta e original sobre o clássico «abismo de incompreensão mútua» defendido por C.P. Snow em «As Duas Culturas». Se não forem os cientistas a comunicar a Ciência com rigor, quem o fará por eles?

50 livros – Divulgação no século XXI
José Riço Direitinho escolheu alguns dos principais títulos publicados em Portugal nos últimos 10 anos. Por entre Matemática, Física, Cosmologia, Biologia, Neurologia, Genética ou Química, destacam-se descobertas, lançam-se pistas e contam-se histórias para entendermos um pouco melhor o mundo em que vivemos. Escolher não é uma ciência exacta. Nem desejamos que seja.

Rogério Casanova – Conceitos básicos de Ciência
Porque nem tudo é relativo, só uma análise microscópica nos podia ajudar a perceber, em toda a sua dimensão ficcional, o modelo atómico, o Big Bang, a fotossíntese, a termodinâmica e a selecção natural.

Poesia portuguesa – O princípio da arca de Noé
«A antologia Poemas Portugueses quer ser justa e panorâmica, oferece muito verso para ler, mas exibe sem querer as ilusões do critério nacional (em crise sem retorno) e obriga as “flores” a conviver com basta erva rasteira», escreve Gustavo Rubim, professor da Universidade Nova de Lisboa.


http://ler.blogs.sapo.pt/


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Prémio Literário José Estêvão



Cumpre-se uma vez mais a tradição. Está aí o Prémio Literário José Estêvão, quase trintão mas de espírito jovem e sempre renovado.

Prémio de Poesia Luís Miguel Nava 2009

O Prémio de Poesia Luís Miguel Nava 2009 é hoje entregue a A. M. Pires Cabral, pelo livro "As Têmporas da Cinza", publicado pelas Edições Cotovia. A casa Fernando Pessoa é a anfitriã da sessão durante a qual o actor Luís Lucas lerá poemas da obra galardoada.

A. M. Pires Cabral, 68 anos, já escreveu poesia, teatro, romance, conto, ensaio e crítica.
Segundo o júri, "a limpidez e a precisão da escrita de A. M. Pires Cabral, a sua penetrante e austera visão dum mundo cuja expressão encontra numa espécie de imitação da terra o modelo para uma linguagem poética de invulgar intensidade, fazem deste autor um dos casos mais representativos da nossa melhor poesia contemporânea".


Luís Miguel de Oliveira Perry Nava (Viseu, 29 de Setembro de 1957 — Bruxelas, 10 de Maio de 1995) foi considerado uma das revelações mais importantes da poesia portuguesa na década de 80/90.

http://www.relampago.pt/fundacaolmn.htm

Hoje é Dia da Internet Segura

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

VOLP

O Vocabulário Ortográfico de Língua Portuguesa (VOLP) da Porto Editora já está disponível online

www.infopedia.pt/


(escolher Dicionários / Língua Portuguesa-acordo ortográfico)


Segundo informação disponibilizada pela editora, O VOLP teve orientação científica do linguista João Malaca Casteleiro; permite pesquisar mais de 180 mil vocábulos representativos do património lexical da língua portuguesa. Disponibiliza também informações sobre classificação gramatical, indicação de pronúncia, formas irregulares no feminino, plurais de compostos, estrangeirismos, abreviaturas e símbolos mais usados na língua portuguesa.


NO site http://www.portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=vop&page=info pode encontrar-se informação sobre o VOP (Vocabulário Ortográfico do Português), nomeadamente sobre as principais mudanças introduzidas com o Novo Acordo Ortográfico.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

José Tolentino de Mendonça vence Prémio Literário Fundação Inês de Castro

Tolentino de Mendonça, com «O Viajante sem Sono», (Assírio & Alvim), venceu o Prémio Literário Fundação Inês de Castro que lhe foi entregue ontem na Quinta das Lágrimas, em Coimbra; o troféu é uma escultura em prata e pedra da autoria de João Cutileiro.

"Poeta, ensaísta, padre e tradutor do "Cântico dos Cânticos" , professor de Estudos Bíblicos na Faculdade de Teologia da Universidade Católica de Lisboa, Tolentino de Mendonça (n.1965) é um dos mais celebrados poetas da sua geração; a sua poesia apresenta, segundo a crítica, uma linguagem pura e cristalina, um tom sublime e belo, uma fragilidade aparente aliada a uma profunda sabedoria.

José Carlos Seabra Pereira, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, membro júri do concurso , salientou que "há um trabalho muito cuidado das palavras e dos silêncios" na obra do sacerdote católico."É uma poesia que fala mais das pequenas coisas do mundo. É mais do que uma proclamação directa do contacto com Deus" , (...) "uma voz poética muito representativa das tendências que passaram a prevalecer na literatura portuguesa a partir dos anos 80", sendo que Tolentino de Mendonça "descobriu formas muito originais de manifestar os caminhos do sentido da vida e de Deus". "

Além do Prémio Literário, a Fundação Inês de Castro atribuiu um "Tributo Consagração FIC 2009" à obra de Manuel Alegre editada pela Dom Quixote.

http://www.destak.pt/artigo/52724



AS CASAS
As casas habitadas são belas
se parecem ainda uma casa vazia
sem a pretensão de ocupá-las
tornam-se ténues disposições
os sinais da nossa presença:
um livro
a roupa que chegou da lavandaria
por arrumar em cima da cama
o modo como toda a tarde a luz foi
entregue ao seu silêncio

Em certos dias, nem sabemos porquê
sentimo-nos estranhamente perto
daquelas coisas que buscamos muito
e continuam, no entanto, perdidas
dentro da nossa casa



José Tolentino Mendonça
"A Noite Abre Meus Olhos" (Poesia Reunida), 2006